Bolívia – Roteiro com 15 lugares que você precisa conhecer!

Bolívia
America do Sul,

Bolívia – Roteiro com 15 lugares que você precisa conhecer!

Bolívia é um daqueles destinos que oferecem experiências incríveis e inesquecíveis, e, portanto, é um país que merece ser visitado, principalmente por nós sul-americanos.

As paisagens mudam muito rapidamente, entre os picos da Cordilheira dos Andes, que chegam a mais de 6.000 metros de altitude, as extensões de sal, os lagos de grande altitude, a selva, as cidades coloniais e as tradições indígenas.

Depois de visitar este país, acredite em nós, você nunca será capaz de tirá-lo da mente e do coração. Leia conosco e monte seu roteiro de viagem até a Bolívia!

Quando ir para a Bolívia?

Quando Ir Para A Bolívia
Quando ir para a Bolívia?

O clima da Bolívia é majoritariamente equatorial, caracterizado por duas estações, uma seca (de abril a setembro) e outra úmida (de novembro a março).

O clima na Bolívia se divide entre floresta tropical, savana e cordilheira dos Andes, mas certamente a diferença entre as estações seca e chuvosa une essas três áreas e determina a melhor época para visitar o país.

No entanto, a diferença entre essas duas estações diminui nos Andes, muito mais áridos que as outras regiões e caracterizados por um frio seco durante todo o ano. A melhor época para visitar nas suas férias é na estação seca, principalmente nos meses de junho, julho e agosto. Evite os meses de dezembro e janeiro, que correspondem ao pico da temporada de verão.

  • Melhor período para visitar a Bolívia: junho, julho, agosto, para o clima frio e ensolarado;
  • Pior período para visitar a Bolívia: dezembro e janeiro, devido à alta umidade e chuvas.

Pontos turísticos imperdíveis na Bolívia

1. Sucre

Sucre
Sucre

Sucre é a capital da Bolívia e uma das cidades mais bonitas da América do Sul. Apesar dos séculos, manteve seu centro histórico inalterado, caracterizado pela arquitetura colonial.

O coração da cidade é a Plaza 25 de Mayo, declarada como Patrimônio Mundial da UNESCO, que é dominada por inúmeros edifícios históricos e alguns dos lugares mais famosos e procurados de toda a cidade.

Aqui você também pode visitar dois dos monumentos religiosos mais importantes de toda a nação, a Catedral de Nossa Senhora de Guadalupe e a Capela da Virgem de Guadalupe. Perto do centro você também deve ver o belo Parque Bolivar, a rua mais elegante da cidade Calle Dalence e a Biblioteca Nacional.

A poucos quilômetros do centro você não pode perder Cal Orcko, uma pedreira onde muitas pegadas de fósseis de dinossauros foram encontradas.

Nesta extensão de rocha, você pode ver mais de 5.000 pegadas de quase 300 espécies de dinossauros. Um centro de visitantes foi construído perto da pedreira para mostrar aos visitantes os dinossauros reconstruídos em tamanho real que viveram nesta terra. 

2. Lago Titicaca e Isla del Sol

O Lago Titicaca está localizado na fronteira entre o Peru e a Bolívia e é o décimo oitavo maior lago do mundo. Com seus 3.812 metros de altitude, é o lago navegável mais alto do mundo. Essa área foi berço da civilização Inca, até a chegada dos conquistadores.

Em 1978 foi criada a Reserva do Titicaca, com o objetivo de salvaguardar e preservar a flora, a fauna e tudo o que existe neste local. Entre as criaturas que vivem na reserva, existem cerca de 60 espécies de pássaros, 14 de peixes e 18 de anfíbios, incluindo o sapo gigante Titicaca, uma das espécies mais famosas, que pode pesar até 3 kg.

Um dos atrativos do lago são, sem dúvida, suas ilhas flutuantes. A mais famosa é sem dúvida a Isla del Sol. Esta ilha, com 13 km² de extensão, é geralmente dividida em duas partes: a do norte rica em sítios arqueológicos, enquanto a do sul é a vila de Yumani que possui muitos caminhos e trilhas para fazer ao redor do lago.

3. Salar de Uyuni

Salar De Uyuni
Salar de Uyuni

O Salar de Uyuni é a maior salina do mundo. Tem uma extensão de 10.582 km² e contém cerca de 10 bilhões de toneladas de sal.

Leia também: Dicas para conhecer o Salar de Uyuni na Bolívia!

Para visitá-la existem vários tipos de passeios, desde os mais rápidos com duração de um ou 2 dias, ou os de 3/4 dias que também incluem diferentes percursos de trekking. A maioria das visitas começa na cidade de Uyuni.

Entre os pontos de interesse mais famosos estão:

  • Isla Incahuasi e Isla de Pescado, duas ilhas localizadas no meio do deserto, habitadas apenas por enormes cactos;
  • O Sol de Manan, um conjunto de piscinas de lama fervente localizadas a 5.000 metros acima do nível do mar, enquanto a 4.200 metros existem fontes termais;
  • O vulcão Tunupa, um vulcão adormecido;
  • A Laguna Colorada, um oásis cheio de flamingos rosa.

4. Potosí e o Cerro Rico

Potosí, durante o Império Espanhol na Bolívia, foi uma das cidades mais ricas e populosas do mundo, graças à descoberta de uma jazida de prata na montanha próxima. Em 1987, foi declarada Patrimônio Mundial da UNESCO.

O centro está repleto de elegantes igrejas da Bolívia, as casas se caracterizam por possuírem paredes coloridas e varandas de madeira, enquanto os edifícios históricos têm um estilo colonial. A cidade está localizada nas encostas do Cerro Rico, montanha onde muita prata foi extraída da Bolívia.

Hoje em dia, as minas ainda estão ativas e também são organizados passeios para poder visitá-las. Sem dúvida, uma experiência inesquecível, porém não é adequada para quem sofre de claustrofobia, devido à grande escuridão e em alguns locais até espaços estreitos.

5. La Paz

Bolívia
La Paz

La Paz é o centro administrativo da Bolívia, tanto que na maioria das vezes é confundida com a verdadeira capital em vez de Sucre.

Situa-se na garganta de um desfiladeiro natural a cerca de 3.650 metros de altura, tornando-se uma das cidades mais altas do mundo e, ao fundo, pode-se admirar a imponente Cordilheira Real da Bolívia, coberta por geleiras.

O que é imediatamente marcante nesta cidade é, sem dúvida, a profusão de cores proporcionada por todas as casas coloridas.

Aqui você entrará na cultura da Bolívia: entre música ao vivo em cada esquina e comida excelente para degustar, você encontrará mulheres com trajes tradicionais e apresentações de danças típicas em cada rua. Sem falar nas inúmeras lojas de artesanato onde se pode comprar e experimentar os produtos típicos locais.

6. Reserva Nacional da Fauna Andina Eduardo Avaroa

A Reserva Nacional de Fauna Andina Eduardo Avaroa é a área protegida mais importante da área de Potosí, no sudoeste da Bolívia.

Com seus 40.000 visitantes por ano, é também a área protegida mais visitada. A reserva é dedicada a Eduardo Avaroa, um herói nacional da Bolívia e oferece uma paisagem incrível. Entre as áreas mais bonitas estão:

  • O Arbol de Piedra, uma conformação rochosa criada pela erosão dos ventos em forma de árvore;
  • As Termas de Polques, pequenas nascentes termais naturais ao pé do Cerro Polques;
  • O Sol de Manana, uma bacia com atividade vulcânica constante, a cerca de 4.800 metros acima do nível do mar, onde você pode bolhas de lama em constante movimento.

Se falamos de vulcões, não podemos deixar de mencionar o vulcão Uturuncu, a montanha mais alta do sul da Bolívia, com seus 6.000 metros de altura. Os jipes chegam a um quilômetro do topo, que pode ser alcançado a pé. O outro vulcão da Bolívia é o Licancabur, que com seus 5.868 metros de altura é o pico mais popular para os alpinistas.

Dentro da reserva também existem várias lagoas, entre elas a Laguna Colorada, de cor vermelha devido às algas e plâncton presentes na água e que abrigam muitos flamingos, e a Lagoa Verde.

7. Lagoa Verde

Bolívia
Laguna Verde, Bolivia

A Lagoa Verde é um dos lagos salgados da Reserva Nacional da Fauna Andina Eduardo Avaroa, no sudoeste da Bolívia, próximo à fronteira com o Chile e aos pés do vulcão Licancabur.

Está localizado a uma altitude muito elevada: cerca de 4.300 metros acima do nível do mar. Sua bela cor se deve aos sedimentos minerais de cobre, magnésio, carbonato de cálcio, chumbo e arsênico que se depositam no fundo do mar e nas águas da Bolívia.

Uma pequena curiosidade: nesta lagoa você não encontrará nenhum tipo de vida porque o lago é tóxico. Obviamente, caminhar nesta área não causará nenhum dano ou perigo. Na verdade, o lugar é muito popular, especialmente pelas rotas de trekking ao pé do vulcão.

8. Tiwanaku

Tiwanaku é o sítio arqueológico mais importante da Bolívia e é facilmente acessível a partir de La Paz, que fica a cerca de 70 quilômetros de distância.

Estudos recentes descobriram que Tiwanaku foi o primeiro verdadeiro império andino, que pode ser facilmente comparado ao dos incas em força e extensão. Mas, ao contrário da civilização Inca, a civilização andina ainda permanece envolta em mistério.

As informações que temos sobre este povo são muito poucas, incluindo por que e como este império caiu.

Entre as ruínas desta cidade da Bolívia desabitada por mais de mil anos, você ainda pode admirar vários monólitos, a pirâmide de Akampana, os restos de uma plataforma de ritual chamada Kalasasaya e a Porta del Sol, o símbolo deste lugar, um portão megalítico em que são vários baixos-relevos permaneceram intactos.

9. Parque Nacional Madidi

Bolívia
Parque Nacional Madidi

O Parque Nacional Madidi é uma área natural protegida localizada no norte da Bolívia, na fronteira com o Peru. Em 2012, o congresso da União Internacional para a Conservação da Natureza declarou o parque como o local com maior biodiversidade do mundo.

Aqui, paisagens incríveis se alternam: você vai passar da pradaria ao cerrado, da floresta tropical à extensão árida da Cordilheira dos Andes da Bolívia, chegando a até 6.000 metros acima do nível do mar.

No seu interior existem cerca de 5.000 espécies de plantas, 900 espécies de pássaros e 2.000 espécies de animais selvagens, incluindo macacos bugios, papagaios, tartarugas, onças, preguiças, tucanos, antas e muitos outros.

10. Parque Nacional Noel Kempff Mercado

O Parque Nacional Noel Kempff Mercado está localizado no nordeste da Bolívia, na fronteira com o nosso Brasil. Foi fundado em 1979 e foi inicialmente denominado “Parque Nacional Huanchca”.

Posteriormente, o nome foi alterado em homenagem ao Professor Noel Kempff Mercado, pela enorme contribuição que deu ao parque graças às suas inúmeras pesquisas e descobertas.

Este parque também oferece uma biodiversidade incrível: desde a floresta você vai passar pela floresta amazônica, até a floresta tropical e, finalmente, até o cerrado. Em seus 15.234 km² existem cerca de 4.000 espécies de plantas vasculares, além de diversas espécies de bromélias, aráceas e palmeiras.

Por falar em animais, existem mais de 130 espécies de mamíferos, incluindo onças, antas e botos. Uma população do raro jaguar preto vive nesta área. Existem cerca de 620 espécies de pássaros, representando 20% de todas as aves na América do Sul.

11. Santa Cruz de la Sierra

Com mais de dois milhões de habitantes, é a cidade mais populosa da Bolívia. Santa Cruz não é particularmente alta, está situada a 400 metros acima do nível do mar, e esta posição a diferencia de outras cidades bolivianas: aqui o clima é mais ameno.

A cidade é o novo centro econômico da Bolívia. Santa Cruz é agora particularmente eficiente do ponto de vista de conexões, transporte público e é o lar da maioria das empresas estrangeiras na Bolívia.

12. El Alto

Localizada perto de La Paz, é a segunda cidade mais populosa da Bolívia com seus 960.000 habitantes e, junto com a capital, constitui o núcleo mais populoso do país. Infelizmente, o crescimento econômico não acompanha o da população: El Alto é uma das cidades mais pobres da Bolívia.

Muito interessante é pegar o teleférico La Paz-El Alto, inaugurado em 2014: essa obra conecta as duas cidades por meio de uma rota panorâmica. El Alto sedia um importante aeroporto, que é o de La Paz.

13. Cochabamba

Com uma população de 618.000 habitantes, esta cidade da Bolívia lembra, com o seu nome, a língua dos antigos quíchuas que ali viveram. É a sede da União das Nações Sul-Americanas, um importante centro político e diplomático.

No alto do Cerro San Pedro, na cidade, está uma das estátuas mais altas do mundo: o Cristo de la Concordia, com 34 metros de altura e acessível por teleférico, ou, para os mais ousados, com uma escadaria de 1.399 degraus.

Cochabamba abriga a maior universidade da Bolívia e, portanto, também é um importante centro cultural e juvenil. Também aqui o período de carnaval é muito popular, com grandes festas e shows folclóricos. O clima é bastante seco e as temperaturas amenas durante todo o ano, apesar da altitude de 2.500 metros.

14. Oruro

Localizada perto das margens do Lago Uru Uru, ao longo da cordilheira dos Andes, a cidade da Bolívia leva o nome da antiga população que se dedicava à produção de cerâmica. É uma cidade antiga, fundada em 1585 com o nome de San Miguel de Oruro.

Há muitas atrações para visitar: o monumento à Virgen del Socavon, com o santuário homônimo, a praça 10 de Febrero, o museu arqueológico e, para os amantes da natureza, é possível visitar o vizinho Parque Nacional de Sajama.

Também esta cidade, como muitas na Bolívia, tem uma altura imponente: 3.700 metros acima do nível do mar.

15. Trinidad

O nome completo desta cidade da Bolívia é La Santìsima Trinidad. Tem quase cem mil habitantes e está localizada na bacia do Rio Amazonas, capital do departamento de Beni, a mais de 400 quilômetros de La Paz. Aqui o clima é tropical, típico da floresta. A cidade é muito antiga, formada em 1600 em torno de uma missão jesuíta.

Trinidad é um importante centro do mercado agrícola da Bolívia, em seus arredores há plantações de cacau, tabaco e cereais. A cidade oferece muitos atrativos para os amantes da natureza, verdadeiras reservas dedicadas à Amazônia boliviana, papagaios e esportes aquáticos às margens do Lago Suarez.

Esses foram os 15 locais que consideramos essenciais inserir em seu roteiro de viagem até a Bolívia. Esperamos que tenha gostado de nossas dicas. Até a próxima!

Translate »