VIAGENS RELIGIOSAS: Igreja Nossa Senhora da Candelária

A cidade do Rio de Janeiro pode ser considerada a capital mais charmosa do Brasil. Seus atrativos culturais e naturais são o que a torna uma cidade diferenciada e que atrai turistas de todo o mundo. Ela está localizada às margens do mar e da Baía de Guanabara, a cidade ainda apresenta diversas igrejas que podem ser consideradas pontos turísticos importantes tanto para devotos católicos como por turistas e admiradores da arquitetura eclesiástica.

Dentro de todo esse contexto, a Igreja da Candelária é um dos cartões postais da cidade e chama a atenção de todos no centro, podendo ser considerada um ponto de encontro importante da logística da cidade, bem como espaço de muita história! Se desejar saber mais sobre a igreja, não deixe de seguir as dicas preparadas abaixo!

Igreja da Candelária

A Igreja da Candelária está localizada no coração da cidade do Rio de Janeiro, no início da Avenida Presidente Vargas, próxima ao Centro Cultural Banco do Brasil e ao Boulevard Olímpico. Após as obras do Porto Maravilha para a recepção das Olimpíadas de 2016, a tocha Olímpica foi colocada à frente da igreja, criando um espaço aberto com múltiplas opções de apreciação artística.

A obra por si só representa um marco para o bairro e com sua estrutura contrastando com diversos prédios comerciais do centro urbano. Assim, esta igreja foi construída a partir do ano de 1609 e passou por reformas em 1710 e em 1775 foi ampliada, com obras durando até o ano de 1811, ano de sua reinauguração cujas obras só foram finalizadas de fato em 1856.

Após a reforma, a cúpula da Candelária tornou-se a construção mais alta da cidade do Rio de Janeiro à época, com 63 metros de altura. Com todos estes anos de intensa movimentação de obras, a parte interior foi trabalhada em detalhes, seguindo um estilo neorrenascentista italiano. Assim suas obras contaram ainda com utilização de mármore policromado nas paredes e colunas e, contando com pinturas no teto de sua abóboda.

Referências da Igreja na História

Sua estrutura é fruto do estilo rococó do Mestre Valentim, que possui ainda outras obras na cidade. Além disso, a igreja apresenta ainda influências do estilo barroco de origem portuguesa. Após mudanças no projeto, a igreja hoje possui três naves e uma deslumbrante cúpula cujas reformas se estenderam até o ano de 1877.

As pinturas anteriores são consideradas obra prima de João Zeferino da Costa, pintor e professor da Academia Imperial de Belas Artes. Apesar de sua beleza, a igreja recebeu muitas referências históricas negativas. Em exemplos, basta recorrer ao período da ditadura, onde a igreja tornou-se resguardo de manifestantes em fuga da polícia e f,oi palco de confrontos entre cidadãos e militares.

Além disso, no ano de 1993 ocorreu a triste Chacina da Candelária às portas da Catedral.  Esta lamentável morte dos jovens marcou a referência ao nome da igreja de uma forma negativa. Entretanto, toda a região portuária vem recebendo mudanças positivas nos últimos anos. Hoje, para além das missas, a Igreja comporta encontros focados no resgate de sua história, bem como uma série de concertos musicais do Projeto Candelária.

Visitação à Igreja da Candelária

A construção é um grande símbolo do patrimônio cultural e religioso da cidade, sendo um marco da fé e da arte que tanto representam o país. Logo, a Igreja da Candelária é aberta à visitação: Nos dias úteis, o horário é das 7h30 às 16h00. Aos sábados, ela está aberta de 09h às 12h e aos domingos, de 09h às 13h. 

Além disso, há missas durante os dias de semana às 12h15 e aos domingos em dois horários: 10h30 e 12h. Por fim, a igreja possui também um projeto de música clássica, com músicos de destaque na região. Você poderá consultar os horários das apresentações junto ao site oficial do projeto.



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Destaques